Resenha: O Duque e Eu

Título: O Duque e Eu
Autor: Julia Quinn
Páginas: 282 páginas
Editora: Arqueiro

Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas.
Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.
É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.
A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.
Primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons, O duque e eu é uma bela história sobre o poder do amor, contada com o senso de humor afiado e a sensibilidade que são marcas registradas de Julia Quinn, autora com 8 milhões de exemplares vendidos.


Minha Opinião: 

O Duque e Eu foi inicialmente publicado como romance de banca e lançado atualmente pela editora Arqueiro. Estava ansiosa pela leitura e não me decepcionei. O livro que me conquistou logo nas primeiras páginas. Flui facilmente e possui uma narrativa deliciosa.

O romance épico foi muito bem trabalhado, assim como suas personagens, que são muito bem moldadas ao longo da estória. Gostei especialmente dos toques de humor e ironia no decorrer do livro, arrancando inúmeras risadas minhas durante a leitura.

“Simon percebeu que ambos estavam presos. Presos pelas convenções e expectativas da sociedade. E foi então que uma ideia lhe veio à mente. Uma ideia estranha, louca e espantosamente maravilhosa. Talvez perigosa também, já que o obrigaria a estar na companhia dela por longos períodos de tempo, o que com certeza o deixaria numa condição permanente de desejo não realizado, mas Simon valorizava seu autocontrole acima de tudo, e tinha certeza de que poderia conter seus anseios básicos.”
Página 75 (O Duque e Eu)

Apesar do foco do livro ser o romance entre Daphne e Simon, os irmãos dela aparecem bastante, o que é ótimo, já que os próximos livros trarão estórias deles, assim o leitor é apresentado a família Bridgerton e conhece os futuros personagens principais dos próximos livros da série. Os diálogos entre Daphne e a família, a superproteção dos irmãos mais velhos e a personalidade forte e marcante da mãe de Daphne deram ao livro um ar familiar.

Apesar de ter certo clichê, a estória não foi prejudicada, pois Julia Quinn narra com maestria e sabe lidar com a narrativa sem que ela fique monótona, aliás, a autora sabe prender o leitor ao livro rapidamente. Não me decepcionaram em nada a narração e a estruturação da obra.

O ambiente e os conflitos familiares são retratados no livro com bastante incidência. A família amorosa e acolhedora de Daphne, sua casa repleta de irmãos e irmãs e sua ótima relação com eles, tem como oposto, a relação complicada que Simon teve com o pai, na infância, gerando inúmeros conflitos futuros a serem enfrentados por ele. O livro mostra as diferentes relações familiares das personagens, assim temos a oportunidade conhece-los e entende-los melhor. Compreendemos sua formação de caráter e suas atitudes.

As ‘Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown’ enriqueceram o livro. Uma coluna de fofocas que causa muita polêmica, já que a misteriosa dama não se preocupa em falar de todos e sobre tudo. Sem poupar detalhes, críticas arrasam as reputações de famílias “perfeitas”, de “impecáveis” donzelas e de inconsequentes rapazes.

“- Mamãe, estou tentando falar com o duque.
Ela olhou para o rapaz.
- Deseja ter essa conversa com meu filho?
- Não faço nenhuma questão, na verdade – respondeu Simon.
- Muito bem, então. Anthony, fique quieto.”
Página 90 (O Duque e Eu)

Estou ansiosa para ler os próximos livros da série Os Bridgertons. O Duque e Eu é um livro muito bom, recomendo sua leitura, principalmente a quem gosta de Romances Épicos, mas recomendo também a quem não gosta muito do gênero, pois Julia Quinn sabe como envolver qualquer tipo de leitor em suas estórias.


Beijos,
Amanda



Direitos reservado à Amanda Aureliano. Não podendo ser reproduzido sem sua prévia autorização e consentimento.

0 comentários:

Postar um comentário



Visualizações

Arquivo

Categorias