Resenha: Querido John

Título: Querido John
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 192 páginas.
Editora: Novo Conceito

Nicholas Sparks, autor número um de best-sellers, traz agora uma história inesquecível de um jovem que tem de tomar a decisão mais difícil de sua vida, em nome de seu grande amor.
“Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre... Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah Lynn Curtis.
A atração mútua cresce rapidamente e logo se transforma em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer: os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e a do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah.

Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.


Minha opinião:



Querido John foi indicação de uma amiga e, como eu já estava curiosa, comprei o livro numa promoção, apesar da edição ser econômica não me decepcionei em nada, tanto em relação à estória quanto a diagramação.

Minha primeira impressão de Querido John foi a seguinte: um casal perfeito. O garoto rebelde, a moça responsável, um verão perfeito. Eu torcia pelo casal. Me peguei inúmeras vezes, planejando o futuro de John e Savannah do jeito que eu achava mais belo e romântico. Acho que foi neste momento que o livro se mostrou de uma forma diferente para mim.

“[...] e quando seus olhos encontraram os meus, senti um clique, como uma chave destravando um cadeado. Acredite, não sou romântico. Embora já tenha ouvido muito sobre amor à primeira vista, nunca acreditei nisso, e ainda não acredito. Mesmo assim, havia algo ali, real e reconhecível, e eu não conseguia desviar o olhar.”
Página 26 (Querido John)

Tudo o que eu conseguia pensar era que apesar das dificuldades o amor venceria, mas a carta mudou tudo. Foi um choque com a realidade. Eu comecei a me questionar: “E não é assim mesmo que acontece na vida real? Nem tudo é como nós realmente desejamos...”. No fundo, eu ainda tinha esperanças, mas percebi que o livro não seria nada se meu “planejamento para um final feliz” realmente fosse usado por Nicholas Sparks.

A vida não se baseia em “Felizes para Sempre” e este livro me mostrou isso. Nem sempre é possível, nem sempre o que queremos, podemos, mas mostrou, principalmente, que o amor é muito mais do que receber. Sacrificar-se pelo outro é a verdadeira prova de que o amor é real, foi o que senti lendo Querido John.

Minha professora costuma falar a seguinte frase: “Se você realmente ama alguém, você quer que esta pessoa seja feliz, não importa se não for ao seu lado.”. E este livro encaixou-se perfeitamente nesta frase. Os personagens intensos, as dores das perdas e as tristezas da decepção. Tudo influenciando uma obra que nos mostra o mundo como ele é, não apenas como queremos que ele seja.

“[...] Isso significava... o quê? Que eu não era tão importante para ela como ela para mim?”
Página 117 (Querido John)


O livro mostra lições de vida. Esta é com certeza a mensagem principal. Amar a família, um amigo, um colega, uma pessoa querida, são amores diferentes, mas que no fundo exigem sacrifícios que nem sempre são fáceis de cumprir. 




2 comentários:

  1. Adorei a resenha! Li este livro faz algum tempo e chorei muuuito hahaha.
    Acho que é lição é essa mesma que você falou, por isso acho que me tocou tanto.
    Beijo.
    Choque Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza
      Esse livro é lindo mesmo! Vale muito a pena ler. Também me senti muito tocada :')
      Beijo

      Excluir



Visualizações

Arquivo

Categorias