Resenha: A Pata da Gazela





Título: A Pata da Gazela
Autor: José de Alencar
Editora: Martin Claret
Páginas: 133 páginas

O romance A pata da gazela (1870), baseado na história da Cinderela e na fábula de La Fontaine “O leão amoroso”, retrata, com ironia, humor e elementos de suspense, a sociedade brasileira do século XIX.









                                       Minha opinião:                                   


Sendo Cinderela o meu conto de fadas favorito e José de Alencar um dos meus autores favoritos, eu não poderia deixar de ler esta sátira ao conto de fadas do mais famoso sapatinho do mundo, sem falar na mescla com a fábula de La Fontaine. Este livro tinha uma premissa incrível e traz ao leitor toques de irreverência e suspense, sem falar na crítica à sociedade, típica nos livros de José de Alencar.

A estória se passa no século XIX, tendo como ênfase a perda de um mimoso sapatinho, que acaba parando nas mãos do leão, Horácio de Almeida, mas sem saber quem é a dona de tão bela preciosidade, ele a guarda para si. Há também Leopoldo, visto quase como o “plebeu” do conto de fadas, e Amélia e Laura, nossas duas possíveis Cinderelas.

“O amor, o verdadeiro amor, consiste na possessão mútua de duas almas; e essa, pode o homem iludir-se alguma vez, mas quando se realiza, é indissolúvel.
Nada separa duas almas gêmeas que prende o vínculo de sua origem divina.”
Página 25 (A Pata da Gazela)

Um livro irônico e engraçado, sua narrativa é envolvente e fluída. Uma obra de José de Alencar muito pouco conhecida, porém quem tem o privilégio de lê-la não se esquecerá da estória. O suspense durante a leitura ajuda a manter o leitor preso ao livro.

O autor consegue enganar os leitores, de forma que só se descobre a verdadeira Cinderela ao final do livro. A confusão do leitor é tanta, que este tem a cada momento do livro uma “princesa” diferente em mente, mas nunca uma certeza de a quem pertence o sapatinho que não deixa a cabeça de Horácio.

A leitura de A Pata da Gazela propicia ao leitor uma nova visão do conto de fadas. Uma das melhores releituras de Cinderela. José de Alencar aproveitou cada detalhe e usou de linguagem figurada para descrever e apelidar os personagens deste livro, como o leão, como é conhecido Horácio, e a própria pata da gazela. Irônico e irreverente sem perder a magia.


Beijos,

Amandinha






Direitos reservado à Amanda Aureliano. Não podendo ser reproduzido sem sua prévia autorização e consentimento.

0 comentários:

Postar um comentário



Visualizações

Arquivo

Categorias