Resenha: O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo


Título: O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo
Autor: Bento de Luca
Páginas: 355 páginas
Editora: Novo Século
Através de um Buraco de Minhoca – túnel dimensional que interliga dois mundos – localizado no Parque do Trianon, São Paulo, surge um viajante felino movido por uma única e importantíssima missão: a busca por uma lendária ampulheta. Escondida em algum local inóspito da cidade, a relíquia é a única capaz de salvar Marshmallow, terra do Príncipe Gato, que está à beira da destruição. No entanto, parece que ele não foi o único a atravessar o portal. Seres malignos irromperam das barreiras e logo declararam uma caçada voraz, com objetivos mais sombrios...
Além de seus perseguidores, o gato luta contra seu maior inimigo: o Tempo. É preciso encontrar o objeto antes que seja tarde e seu mundo esteja para sempre perdido. Contudo, ele não estará sozinho nesta empreitada e poderá contar com a ajuda de seus fiéis companheiros.
Fascinante, angustiante e até mesmo engraçada, a estória retrata os mistérios jamais desvendados da cidade paulistana, com um toque de magia e esperança.


Minha opinião:


Um reino à beira da destruição. Uma relíquia perdida. Um buraco de minhoca. A louca e conturbada cidade de São Paulo. Junte a todos estes elementos um trio completamente improvável, tiradas engraçadas, tudo arrematado com suspense e emoção a cada parágrafo. Pois é, mas você ainda não viu nada.

Mais uma vez a literatura nacional mostrando toda a sua competência. De uma forma rápida e intensa o livro me envolveu desde a primeira página. O suspense envolve a narrativa deixando-a mais ágil e isso não é interrompido no desenvolvimento da estória, pelo contrário fica cada vez melhor, deixando o leitor completamente preso ao livro.

“Mas se pensávamos que tudo havia acabado e estávamos a salvo, não, vou dizer que nosso pesadelo estava apenas começando! Os acontecimentos a seguir ficariam marcados na história daquela cidade por todos os séculos.”
Página 224 (O Príncipe Gato e a Ampulheta do Tempo)

A narrativa foi um ângulo à parte. O autor utilizou dos três personagens principais para narrar a estória em primeira pessoa, porém com estas três visões diferentes de forma aleatória. Isto foi fantástico, gosto muito de ter esta visão mais ampla de uma situação proposta no livro, pois ao contar a mesma estória por perspectivas diferentes o leitor tem maior chance de se aprofundar no livro e conhecer cada personagem e seu modo de pensar.

Aliás, os personagens foram um destaque à parte. O Príncipe Gato e sua personalidade forte, além de sua teimosia e ironia, faz o leitor dar muitas risadas. Já Hugo, é um personagem muito diferente, ele tem em suas atitudes uma forma de se esconder das dificuldades do mundo e de certa forma sua personalidade irônica é um escudo para encarar as adversidades. Eleanor, o ratinho, que teria uma síncope se me visse descrevê-lo assim, é um exímio poliglota, amante dos livros, estudioso e muito sábio, sua modéstia, ou melhor, a falta dela, o tornam um personagem querido e inesquecível.

A cidade de São Paulo nunca mais será a mesma, pelo menos, não aos olhos do quem ler O Príncipe Gato. O ambiente foi muito bem explorado para construir a narrativa. Foi tão bom sentir que estava perto daquilo tudo, que já estivera lá e que quando fosse novamente à cidade não a veria como antes. Se Bento de Luca queria um cenário marcante ele encontrou o lugar perfeito. Os loucos congestionamentos em meio a lindos parques e catedrais, além da correria dos paulistanos, tudo com ambientes mágicos envolvidos. Realmente impactante.

Só posso concluir esta resenha dizendo que o livro é um dos meus favoritos. E já aviso que Bento de Luca foi muito “mau” quando acabou o primeiro livro, pois muitas dúvidas ficaram no ar e o leitor fica completamente louco de curiosidade. Ainda bem que o segundo livro já foi lançado. Também quero dizer que a segunda edição possui algumas páginas a mais, pois trás ao final os capítulos que não foram publicados no livro, isso me deixou muito animada, nunca havia lido nada parecido, há também um conto de Marshmallow bastante interessante. Leitura mais que recomendada.





6 comentários:

  1. Tive o prazer de conhecer os autores na Bienal do Rio e eles são incrivelmente simpáticos. <3
    Mas todo mundo fala que esse livro é INCRÍVEL, só que ainda não tive oportunidade de ler. :( Sua resenha só me deixou com ainda mais vontade de ler logo!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia mesmo, Luara, porque este livro é muito bom! Que sorte poder conhecê-los, não pude ir na Bienal do Rio :(
      Fico feliz que tenha gostado da resenha!

      Beijinhos,
      Amanda

      Excluir
  2. A resenha está maravilhosa. Dá vontade de ir correndo pegar o livro e só parar quando terminar.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada. O livro é assim mesmo, não deixa que o larguemos antes da última linha.

      Beijinhos,
      Amanda

      Excluir
  3. Pois é eu tbm quero comprar esse livro, quero comprar um livro q me faça viajar, q me faça sonhar, imaginar algo diferente da realidade, uma realidade q não tem nos filmes. alias, será q esse livro vai virar filme? Ao inves de ter comprado esse, comprei O Heroi Perdido, com o nariz torcido, e triste por não achar o livro citado na resenha. Agora tem O Principe Gato e a Flor-cadaver, mas só vou compra-lo depois do primeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este livro é realmente muito bom! Não sei se vai virar filme, mas seria uma boa pedida, viu? Espero que goste da leitura quando a fizer.

      Excluir



Visualizações

Arquivo

Categorias