Não Julgue o Livro pela Capa: Terra Papagalli

Toda vez que eu olhava para capa deste livro sentia certo receio de ler. Todo aquele amarelo, aqueles desenhos estranhos, o título bem peculiar, tudo parecia levar a uma leitura chata e arrastada, mas, felizmente, me surpreendi.

O livro é narrado em meados de 1500, falando de um modo irônico sobre a descoberta do Brasil, pelo ponto de vista de um preso português que é mandado para a recém descoberta 'Terra dos Papagaios'. Cosme é muito divertido e temos sua narração em primeira pessoa, inicialmente com um diário de bordo, posteriormente em forma de "dicionário" e bestiário (descrevendo seres da nova terra).

Os autores mesclaram a cultura indígena com várias críticas, falando de palavras que realmente pertence ao vocabulário dos tupiniquins e outras que eles mesmos inventaram. Criaram também os dez mandamentos para bem viver na Terra dos Papagaios, com dicas do próprio Cosme Fernandes; dicas estas que são claramente críticas e ironizadas, mas que não deixam de ser cômicas.

"...não há mal que não possa ficar pior..."

Alguns dos mandamentos que achei mais irônicos e divertidos:
Segundo Mandamento
"É preciso fazer alarde, espetáculo e pompa, pois nesta terra mais vale o colorido do vidro que a virtude do remédio." (página 76)

Quinto Mandamento
"...as portas não são abertas com chaves de ferro, mas com moedas de prata."

Nono Mandamento
"...os daquela terra muito prezam serem chamados de senhores e não há quem não troque honradez por honraria." (página 166)



Realmente me surpreendi com a leitura, a capa não me transmitiu nem um pouco o que foi abordado e dei boas risadas com Cosme Fernandes.

0 comentários:

Postar um comentário



Visualizações

Arquivo

Categorias