Resenha: Morte nas Nuvens

Título: Morte nas Nuvens
Autor: Agatha Christie
Páginas: 254 páginas
Editora: L&PM Pocket

Durante um voo de Paris a Londres, Madame Giselle, uma agiota, morre subitamente. A arma do crime não poderia ser mais absurda: um dardo envenenado cravado no pescoço da vítima. Mas quem conseguiria utilizar uma zarabatana dentro de um avião? E sem ser visto por ninguém? Todos os passageiros são interrogados pela polícia. Entre eles está Hercule Poirot: ele simplesmente não consegue aceitar que um assassinato foi cometido bem debaixo do seu nariz. O detetive começa a investigação, mas desta vez os riscos são altos – afinal, é um dos principais suspeitos do crime.

Considerado um dos casos mais difíceis de Poirot, Morte nas nuvens é um mistério ao mesmo tempo divertido e intrincado, em que cada detalhe faz toda a diferença.



Minha opinião:


Toda vez que quero ler algo diferente, para me distrair, que não seja uma leitura muito longa, mas ao mesmo tempo boa, sempre aposto em Agatha Christie e seus mistérios. Ela sabe como prender um leitor ao seu livro e também como compor um bom crime.

Este livro começará com um voo no avião Prometeu, saindo de Paris com destino a Londres. Tudo parece perfeitamente normal, até que há um assassinato em pleno ar. Uma das mais famosas agiotas francesas é morta com um dardo envenenado. E para piorar a situação, uma zarabatana indígena é encontrada dentro do avião. O mais intrigante, porém, é que ninguém viu nada. Hercule Poirot parece não encontrar saída para este caso e precisará de muita investigação para descobrir quem matou Madame Giselle.

O livro se desenvolve muito rápido. Como de costume, a morte já é trazida ao leitor logo no começo do livro, o que agiliza o caso. A descrição de Agatha é primorosa e bem feita, seu modo de narrar é bastante simples, mas peculiar.

Os personagens presentes na trama são apresentados um a um para o leitor. Poirot se mantém irônico e bastante engraçado, por assim dizer, durante o livro. Uma das dificuldades poderia ser a localização dos passageiros no avião, que é de extrema importância durante a leitura, mas esta edição trás um mapa de toda a parte traseira da aeronave, com os nomes dos passageiros e os respectivos lugares onde se sentavam.

O livro, entretanto, não foi tudo o que eu esperava. Não sei se tinha altas expectativas em relação a ele e por isso me decepcionei um pouco. A questão é que o livro não é ótimo, mas está longe de ser ruim. O desfecho foi bastante surpreendente. Novamente, não consegui adivinhar o criminoso(a).

Aos que são fãs da autora, talvez, este não seja um dos melhores livros lidos, mas é um caso muito bom de se acompanhar, cheio de reviravoltas e bastante informação, no qual cada detalhe pode mudar a estória. Aos que querem começar a ler Agatha Christie recomendo bastante, pois é simples e não necessita de leituras anteriores para bom entendimento, mesmo que os livros da autora tenham certa cronologia. Leitura recomendada.



4 comentários:

  1. Olá!!
    Aah como eu amo os livros da Agatha ♥♥
    Poirot é o meu detetive favorito haha
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas com certeza entrou para a lista dos que eu quero ^^
    Adorei a resenha
    Abraços!!
    Enjoy The Little Things

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Guilherme
      Também amo os livros da Agatha! :D
      Gosto muito dos casos com o Poirot, mas também gosto da Miss Marple.
      Esse livro não é muito conhecido mesmo, mas vale a pena! :)

      Excluir
  2. Poirot é muito amor <3
    Não sabia que esse livro era da Agatha, aliás nem sabia que esse livro existia, kkk
    Pena não ser um dos melhores, mas ainda assim acho que vale a leitura, né? rs
    Beijos, flor!

    www.missthay.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thais
      Com certeza vale a pena a leitura! Não foi o melhor livro dela que eu já li, mas está bem longe de ser um livro ruim.
      Poirot atinge o ápice da ironia nesse livro, o que é muito engraçado! rs
      Beijão

      Excluir



Visualizações

Arquivo

Categorias